• (61) 3298-8317
  • Brasília, DF
  • Email: contato@feneauto.org.br

Nobre deputado Kim Kataguiri, se as autoescolas são uma 'máfia', do que devemos chamar a classe política?

O deputado Kim Kataguiri (DEM/SP) utilizou suas mídias sociais para rotular as autoescolas de ‘máfia’ ao apresentar seu projeto de lei. O deputado demonstra profundo desconhecimento sobre o regime de credenciamento das autoescolas e generaliza um setor com mais de 14 mil empresas e que gera mais de 120 mil empregos.

Por Magnelson Carlos de Souza, presidente
15/09/2020 às 18h04 — Atualizado em 16/09/2020 às 05h26

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP) — conhecido por movimentar assiduamente suas redes socais — protocolou no mês de agosto o PL 4474/2020 que propõe tornar facultativa a presença em autoescolas para a obtenção da primeira habilitação. Mais um projeto de lei que é apresentado no Congresso e que ameaça o setor de Autoescolas/CFCs. Mais um projeto de lei que é apresentado sem qualquer estudo técnico ou debate com os aqueles envolvidos no setor que está sendo colocado em xeque.

O que chamou a atenção de todos os empresários e demais envolvidos na formação de condutores, foi a forma pejorativa com a qual o deputado Kim Kataguiri se referiu às autoescolas ao divulgar a sua propositura nas mídias sociais. O deputado Kim Kataguiri rotulou um setor de quase 14 mil empresas, que são uma delegação do serviço público e que ainda lutam bravamente para sobreviverem e retomarem sua atividade econômica, de máfia. ‘Vamos acabar máfia das autoescolas’, disse o deputado em suas publicações.

Assim como nao podemos generalizar toda a classe política, que sabemos que existem políticos sérios e bem intencionados, não podemos generalizar o setor de autoescolas no Brasil, onde podemos afirmar que existem empresas sérias e comprometidas com a formação de condutores. A não ser que o deputado esteja buscando apenas os holofotes, o que lamentamos muito, pois esperávamos muito mais do nobre deputado Kim Kataguiri.

Repudiamos o adjetivo de ‘máfia’ atribuído a toda a categoria, a atividade exercida por uma autoescola não se trata de organização criminosa. Inclusive, o deputado Kim Kataguiri, que defende a figura do estado mínimo, deveria se preocupar muito mais com a burocracia já estabelecida há muito tempo para a obtenção da CNH. Nesse caso, a elaboração desse projeto de lei seria muito mais justificável.

Diante disso, decidimos convidar o jovem deputado Kim Kataguiri para um debate, uma conversa amistosa para que conheça a realidade do serviço prestado pelas autoescolas, um setor que tem muito potencial para aprimorar sua prestação de serviços, mas esbarra nas muitas e ultrapassadas legislações. Talvez assim, o deputado consiga desenvolver uma propositura que vise desburocratizar o setor e, consequentemente, a obtenção da habilitação.

Protocolamos um Ofício expondo todos os efeitos causados pela publicação do deputado Kim Kataguiri e solicitamos uma retratação pública do deputado. Clique aqui para ler a íntegra do Ofício.

Por fim, esperamos que o deputado Kim Kataguiri aceite o convite para um debate. Podemos, por exemplo, apresentar as exigências para credenciamento de uma Autoescola/CFC contidas na Resolução Contran 789/20, onde a estrutura física para uma empresa numa grande capital é a mesma exigida para uma empresa localizada em uma pequena cidade do interior.

Ao chamar um setor inteiro de ‘mafiosos’, o deputado Kim Kataguiri corre sério risco de desperdiçar uma grande oportunidade de contribuir para o trânsito brasileiro e, especialmente, para a desburocratização de um serviço de extrema importância para o cidadão.

Mais notícias
Governo prorroga por mais sessenta dias o programa que permite redução de jornada e salário Programa foi criado em abril em razão da pandemia do coronavírus.
Bolsonaro sanciona lei que altera o Código de Trânsito Brasileiro Presidente da República vetou alguns pontos do texto. Lei entra em vigor em 180 dias.
ANÁLISE: lei que altera Código de Trânsito Brasileiro é sancionada Lei entra em vigor em 180 dias.
Câmara dos deputados aprova e PL 3267/19 segue para sanção de Bolsonaro Projeto de lei altera pontuação e validade da CNH e também acaba com obrigatoriedade das aulas noturnas e prazo de espera para remarcação dos exames teórico e prático.
Contran publica portaria que suspende prazo dos processos de habilitação por tempo indeterminado No início da pandemia, Contran ampliou prazo de validade dos processos para 18 meses. Feneauto vinha solicitando nova ampliação e até mesmo suspensão temporária do prazo.

Feneauto e Sindicatos Estaduais juntos para representar e aprimorar o setor de Autoescolas

Estamos à disposição para receber comentários, elogios, críticas e sugestões.